Como utilizar ferramentas de buscas nas redes sociais

Nils Mulvad fala sobre ferramentas de busca nas redes sociais (Foto: Isabela Dias/divulgalção)

Nils Mulvad fala sobre ferramentas de busca nas redes sociais (Foto: Isabela Dias/divulgalção)

A corrida por cadeiras extras já anunciava a expectativa criada em torno da mesa “Monitorando redes sociais: para pautas quentes ou frias”, que aconteceu na manhã de sábado, segundo dia da Conferência Global de Jornalismo Investigativo, que vai até terça  na PUC-Rio.

Nils Mulvad, professor e sócio na empresa dinamarquesa de consultoria em jornalismo Kaas & Mulvad, encarou com bom humor os problemas técnicos e de espaço e incentivou os ouvintes a se “apertarem” para que todos pudessem acompanhar.

“O trabalho que estamos fazendo tem que mudar e rápido. As mídias sociais e móveis são a chave para sobreviver”, anunciou o especialista em novos métodos de jornalismo de dados e uso de redes sociais.

A previsão que, para muitos já está consolidada, ainda cria certo desconforto entre os mais reticentes a assimilar as novas plataformas de produção de conteúdo na web. Os sentimentos, no entanto, que tomaram conta do ambiente foram os de fascinação e surpresa diante dos “truques” apresentados por Paul Myers, da BBC.

Paul Myers, da BBC, durante a Conferência Global de Jornalismo Investigativo

Paul Myers, da BBC, durante a Conferência Global de Jornalismo Investigativo

Principais dicas de monitoramento de redes sociais:

  • O Google  é a ferramenta mais eficaz de busca de informações. As próprias redes sociais como Facebook, Twitter e LinkedIn disponibilizam informações limitadas em seus campos de pesquisa ou exigem que você faça um upgrade em sua conta. Por isso, dispense a busca direta nas redes e se concentre na gigante da internet.

Exemplo: É comum ao pesquisar um usuário ou página no Facebook se deparar com uma vasta opção de resultados, mas que não interessam.

* Ao digitar a seguinte frase no Google, “fifa no rio site facebook.com”, é possível chegar a respostas mais aproximadas do que simplesmente procurar por “fifa no rio” na rede de Mark Zuckerberg.

* Acrescente OR e você terá uma busca ainda mais ampla com duas variáveis: “fifa sao paulo OR rio site facebook.com“.

* Insira a palavra intitle antes da pesquisa e restrinja a termos que aparecem no título.

  • Altere as configurações da sua conta para expandir as opções de busca. Ao definir o idioma do seu perfil como “Inglês (US)” – por motivos desconhecidos ou de ordem conspiratória -, o campo de pesquisa do Facebook passa a oferecer ferramentas mais refinadas e flexíveis.

* Assim, por exemplo, você pode ter acesso aos amigos em comum de mais de uma pessoa em um único clique, simplesmente digitando: “my mutual friends with ____ (nome da pessoa)”.

*Pasme! Você pode chegar a resultados de buscas tão específicas – ou inusitadas – quanto esta: “soldiers who live in Rio de Janeiro and like Radiohead (soldados que moram no Rio de Janeiro e gostam de Radiohead)”.

  • Obtenha informações de pessoas através de fotos. Você pode até se sentir seguro por ter seu álbum de fotos fechado ou simplesmente não postá-las, mas o fato é que alguém próximo a você, em algum momento, publicará um registro em que esteja presente. E o caminho para descobrir isso é fácil.

* Digite na pesquisa: “photos of ____ (nome da pessoa)” e você obterá as fotos em que a pessoa foi marcada por um parente ou amigo e poderá chegar a alguém mesmo que ela não tenha um perfil no Facebook, caso tenha acesso a informações prévias sobre os contatos da pessoa em questão.

Alterar a definição de idioma permite ampliar o campo de pesquisa

 

 

  • Obtenha informações sobre o e-mail de um usuário. Copie o username que consta na barra de endereços da página do perfil do usuário e cole no campo de login, clicando em “esqueci minha senha”. O Facebook te oferece a opção de criar uma senha nova.

* Mas Paul Myers adverte: “Isso é muito mal, nunca façam contra pessoas que tenham armas”.

  • Descubra a origem de uma foto ou a pessoa que está nela. As pessoas tendem a manter a mesma foto de perfil em diferentes contas e, ao fazer o download de uma imagem, o próprio nome do arquivo pode levar a informações relevantes sobre alguém.

Busca de informações através de fotos

 

 

  • Se você está atrás de breaking news, o Twitter é o lugar. 

* Através do site Followerwonk você pode pesquisar biografias restringindo seus critérios de busca como profissão, localidade, tópicos e seguidores.

* Monitore suas redes sociais através do Hootsuite.

Em um cenário em que as redes sociais tornam-se fontes de informação e ferramentas de investigação, a produção de conteúdo vai se voltar cada vez mais para os dispositivos móveis. “Muitos sites de mídias têm mudado o foco na produção de conteúdo para ser exibido nos smartphones e não mais nos computadores ou na TV’, afirma Nils, que defende o mantra “If It Doesn’t Spread, It’s Dead“.

O compartilhamento da informação é o que rege a prática jornalística hoje e é seguindo essa lógica que a página Upworthy vem ganhando protagonismo no universo da web, propondo a criação de histórias otimizadas para smartphones, baseadas em uma frase chamativa justamente para instigar o usuário a clicar em share. A revolução é rápida, mas ainda é tempo de aderir ao movimento. “É preciso repensar o modo de fazer as notícias para que sejam compartilhadas e não vão direto para um arquivo”, acredita o especialista.

Texto: Isabela Dias (4° ano ECO/UFRJ)

Serviço:

Peter Myers, da BBC, estará na mesa “GLOBAL: Pesquisa na web: truques do mercado”, com Margot Williams (Editora de Pesquisa, ICIJ) – moderador: Gabriela Manuli (Coordenadora de Projetos, Global Investigative Journalism Network)

Segunda-feira, 14 de outubro de 2013 – 15h30

Nils Mulvad, da empresa Kaas & Mulvad, estará na mesa “GLOBAL: Uso de gerenciadores de bancos de dados para investigações”, com Jaimi Dowdell (Investigative Repórters and Editors)

Terça-feira, 15 de outubro de 2013 – 11h

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *