Oito dicas para achar boas histórias

A troca de dicas, histórias e contatos marcou a oficina de Colaboração sobre esportes, que fez jus ao nome, criando uma nova rede entre os presentes. Ali se encontraram estudantes e jornalistas de diversos países, como Bélgica, Tunísia e Finlândia.

Após uma breve apresentação de cada um dos participantes, como o ilustre Andrew Jennings e o repórter Declan Hill, da CBC, os palestrantes Andrew Lehren e Rob Rose distribuíram pendrives com dados sobre os medalhistas olímpicos. Ali também estavam “algumas das melhores reportagens esportivas no mundo”, na opinião de Lehren, para inspirar os presentes.

Lehren distribuiu pen-drives para os presentes. Foto: Katryn Dias

Além de fazerem “networking”, os presentes também trocaram informações sobre como elaborar uma boa investigação. Confira abaixo algumas dicas:

1-Pesquise

Ler, ler e ler. Não importa se você não se interessa pelo assunto ou se as informações não parecem claras num primeiro momento. Leia sempre e guarde tudo com você, mesmo os balanços das empresas. Eles podem ser muito úteis no futuro.

2- Converse com especialistas  

Encontre pessoas que são especialistas em um determinado assunto e que estejam dispostas a conversar com você.

3 – Datas

Coloque os eventos em ordem cronológica. Isso ajuda você entender e visualizar melhor como uma boa história começa.

4- Quadros organizacionais

Pesquise os cargos que as pessoas ocupam atualmente e onde elas estavam há alguns anos. Desconfie de quem ascendeu muito rapidamente.

5- Lista de telefones

Guarde as listas antigas de telefones. Você nunca sabe quando vai precisar.

6- Empresas que combatem a corrupção

Saiba o nome das principais entidades anticorrupção do seu país e pesquise como elas atuam.

7- Converse com os derrotados

Procure ouvir o lado de quem perdeu uma licitação, por exemplo. Eles podem ter informações privilegiadas sobre o processo.

8 – Converse com trabalhadores invisíveis

Não fale apenas com as pessoas que estão no poder. Mantenha contato com os que estão em um nível hierárquico abaixo. Eles são ótimas fontes.

Texto: Maria Clara Modesto (4° ano ECO)

Serviço:

Sports Collaboration Workshop

Com Andrew Lehren (The New York Times) e Rob Rose (Sunday Times)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *